Encarceramento em massa

Encarceramento em massa

Baseado em 31 avaliações
  • 39 Alunos matriculados
  • 01 Hora de duração
  • 7 Aulas
  • 1 Módulos
  • Certificado de conclusão
"Maravilhoso."
Meire
mais avaliações

Pode parecer um pouco estranho para vocês falar sobre encarceramento em uma coleção sobre feminismos, não é?

Porque a gente, quando pensa em encarceramento, pensa geralmente em celas superlotadas, com homens muitas vezes tentando colocar suas mãos pra fora, fazer gesticulações que indicam superlotação das suas celas.

Mas se a gente for pensar em uma relação direta, já logo no que é o cenário fora desse presídio, desta unidade prisional, a gente já vai ver quantas mulheres estão ali como cuidadoras, não é? Como mulheres que acompanham os seus filhos, seus maridos, seus tios, primos, seus pais, e que garantem o cuidado dessas pessoas no sistema prisional. E são as mulheres que acabam tendo que, nessas situações, se colocarem como chefes de família, muitas vezes.

Mas não só por isso é importante falar de encarceramento nos feminismos. É importante também falar sobre isso porque nós temos números assustadores no Brasil. O Brasil é o país que tem a maior taxa de encarceramento feminino e taxa de encarceramento geral no mundo, nós estamos na quarta posição entre os países que mais encarceram. Atrás de Estados Unidos, China e Rússia. E nos últimos anos, se a gente for pensar de 2006 a 2014, a gente teve um aumento de mais de 560% no encarceramento de mulheres no Brasil.

Tempos não tão distantes colocavam apenas as ONG´s e instituições no embate contra a opressão, seja ela qual for. Essas instituições construíram por anos e anos um trabalho histórico de movimentos das mais diversas formas de preconceito, não só de raça, mas de classe social, gênero e orientação sexual. 

Essa plataforma vem para apoiar a disseminação de conteúdo crítico intelectual, colaborando assim com o advento da educação, conscientização e transformação da sociedade.

Dessa forma ela destina-se a todas as pessoas que buscam um espaço democrático para a educação antirracista, em prol da construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

Juliana Borges
"Pesquisadora em antropologia, colunista e conselheira da PBPD"


Pesquisadora em antropologia na Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, colunista da Bemglo, conselheira da Plataforma Brasileira de Política de Drogas e foi secretária adjunta de políticas para as mulheres da prefeitura de São Paulo, na gestão de Fernando Haddad. É autora de "Encarceramento em massa", segundo título da coleção Feminismos Plurais.


Após término do curso, emita seu certificado online. Ele aparecerá no canto superior, na página do curso, ou no menu inicial (ao lado da sua foto de perfil), na opção "Meus certificados".


Confira algumas dúvidas mais comuns sobre a emissão e validade do certificado: 

  • Meu certificado emitido através deste site tem validação do MEC? 

Os cursos autorizados pelo MEC são de Graduação e Pós-Graduação e as Secretarias Estaduais de Educação autorizam cursos técnicos profissionalizantes e do ensino médio. Cursos online são classificados, por lei, como cursos livres de atualização ou qualificação, ou seja, não se qualifica como graduação, pós-graduação ou técnico profissionalizante. 

Os Cursos Livres, passaram a integrar a Educação Profissional, como Nível Básico após a Lei nº 9.394 - Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Essa é uma modalidade de educação não-formal com duração variável, a fim de proporcionar conhecimentos que permitam atualizar-se para o trabalho, sem exigências de escolaridade anterior. 

Educação é um direito de todos e é um incentivo a sociedade, previsto por lei na Constituição Federal.  É com essa base que trabalhamos, incentivando a educação. Os cursos livres e os certificados tem validade para fins curriculares e certificações de atualização ou aperfeiçoamento, não sendo válido como técnico, graduação ou pós-graduação. 

  • Meu certificado é aceito pelo CREA, CRC e CRM? 

Conforme explicado acima, nossos cursos são de nível básico e livre, ou seja, servem para atualização e qualificação. Todos esses órgãos são de nível superior.

(Fontes: Secretaria de Educação de São Paulo e ABED)

Conteúdo Programático

  • 1. Aula 01 - Juliana Borges: Introdução - Encarceramento x Feminismos Plurais
  • 2. Aula 02 - Juliana Borges: Por que é necessário punir?
  • 3. Aula 03 - Juliana Borges: Como se constitui a nação e a sociedade brasileira
  • 4. Aula 04 - Juliana Borges: Sistema de justiça criminal como ferramenta necropolítica
  • 5. Aula 05 - Juliana Borges: A construção da mulher negra criminosa
  • 6. Aula 06 - Juliana Borges: A possibilidade de um mundo sem prisões. Será possível?
  • 7. Aula 07 - Juliana Borges: A importância das ideias que caracterizam a prisão

Cursos Relacionados

Conheça outros cursos que oferecemos para complementar seus estudos.

Voltar ao topo